RESÍDUOS DE EMBALAGENS DE DESODORANTES EM AEROSSOL: estudo dos aspectos ambientais e proposta de gerenciamento na unidade de ensino ETEC DANS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52138/citec.v16i1.292

Palavras-chave:

desodorantes aerossóis; educação ambiental; gerenciamento; impactos ambientais; resíduos sólidos.

Resumo

O consumo crescente de desodorante em aerossol e, consequentemente, o descarte incorreto dos seus resíduos causam impactos ambientais significativos ao meio ambiente, tais como poluição do solo, águas subterrâneas e superficiais e ar. Uma vez que apresenta em sua composição gases propelentes, considerado um resíduo perigoso pela sua característica de inflamabilidade, reatividade e toxicidade. Além disso, os materiais presentes na embalagem, alumínio e plástico, quando não reciclados ou reaproveitados, são destinados a lixões e ou aterros, contribuindo para a poluição do solo e água, sendo um possível foco para a proliferação de vetores biológicos transmissores, bem como diminuindo a vida útil do aterro sanitário. Desta forma, o estudo consiste em identificar os usuários de desodorantes em aerossol e o padrão de descarte entre os membros da comunidade escolar da Escola Técnica Dr Adail Nunes da Silva, e utilizar a temática para promover a educação ambiental, através da criação de um ponto de coleta para incentivar a logística reversa.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 3 ago. 2010. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 07 set. 2023.

BORTOLOZI, Tatiane. Venda de desodorante abre mais espaço para Unilever e Nivea. Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC). 2016 Disponível em: https://abihpec.org.br/venda-de-desodorante-abre-mais-espaco-para-unilever-e-nivea/ Acesso em: 07 set. 2023.

CARRAPATO, Pedro; CORREIA, Pedro; GARCIA, Bruno. Determinante da saúde no Brasil: a procura da equidade na saúde. Saúde e Sociedade, v. 26, p. 676-689, 2017.

CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE (CONAMA. Resolução nº 275, de 25 de abril de 2001. Estabelece o código de cores para diferentes tipos de resíduos, a ser adotado na identificação de coletores e transportadores, bem como nas campanhas informativas para a coleta seletiva. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 abr. 2001. Seção 1, p. 102.

______. Resolução nº 307, de 5 de julho de 2002. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 9 jul. 2002. Seção 1, p. 89-91.

______. Resolução nº 358, de 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 30 abr. 2005. Seção 1, p. 126-128.

COSMETIC INNOVATION. Brasileiros desembolsam R$11,6 bilhões por ano em desodorantes. 2021. Disponível em: https://cosmeticinnovation.com.br/brasileiros-desembolsam-r-116-bilhoes-por-ano-e m-desodorantes/. Acesso em: 27. mai. 2023.

IBRAHIN, Francini Imene Dias. Análise ambiental: gerenciamento de resíduos e tratamento de efluentes. Saraiva Educação SA, 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA(IBGE). Panorama. 2022. Disponível em: https://censo2022.ibge.gov.br/panorama/. Acesso em: 07 set 2023.

PEREIRA, Eduardo Vinícius. Resíduos sólidos. Editora Senac São Paulo, 2019.

PROLAB ambiental. Logística Reversa de Embalagens. 2023. Disponível em: https://prolab.eco.br/logistica-reversa-embalagens.php. Acesso em: 27 maio 2023

REVISTA ALUMINIO. Desodorante Aerossol Ganha Território. 2016. Disponível em: https://revistaaluminio.com.br/a-escolha-do-fregues/. Acesso em: 01 mar. 2022.

SCHALCH, Valdir et al. Gestão e gerenciamento de resíduos sólidos. 2022. (Escola de Engenharia de São Carlos, USP), São Carlos, 2002.

SÃO PAULO. Lei nº 10.888, de 20 de setembro de 2001. Dispõe sobre o descarte final de produtos potencialmente perigosos do resíduo urbano que contenham metais pesados e dá outras providências. Brasília, DF: Disponível em: https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/2001/lei-10888-20.09.2001.html. Acesso em: 19 maio 2023

SILCON AMBIENTAL. AEROBACK – Tecnologia Silcon de desenvase de aerossóis. Disponível em: https://www.silcon.com.br/tecnologias/tec-aeroback/. Acesso em: 07 set. 2023.

SZIGETHY, Leonardo; ANTENOR, Samuel. Resíduos sólidos urbanos no Brasil: desafios tecnológicos, políticos e econômicos. IPEA Centro de Pesquisa em Ciência, Tecnologia e Sociedade, 2021. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/cts/pt/central-de-conteudo/artigos/artigos/217-residuos-solidos-urbanos-no-brasil-desafios-tecnologicos-politicos-e-economicos . Acesso em: 07 set. 2023.

VIEIRA, Nairana Gardete Peres. Inserção da economia circular: estudo de caso para embalagens de desodorante. 2022. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Química) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2022.

YEOMAN, Amber M.; LEWIS, Alastair C. Emissões globais de VOCs de produtos aerossóis comprimidos. Elem Sci Anth. v. 9, n. 1, pág. 00177, 2021.

Downloads

Publicado

2024-04-10

Como Citar

CUNHA, Gislaine Aparecida; MORELLI, Fabio Henrique; BARÃO, Elisangela Aparecida; ZAMBELLI, Andreza Renata. RESÍDUOS DE EMBALAGENS DE DESODORANTES EM AEROSSOL: estudo dos aspectos ambientais e proposta de gerenciamento na unidade de ensino ETEC DANS . Ciência & Tecnologia, [S. l.], v. 16, n. 1, 2024. DOI: 10.52138/citec.v16i1.292. Disponível em: https://publicacoes.fatecjaboticabal.edu.br/citec/article/view/292. Acesso em: 25 maio. 2024.